13/11/2017

Case Salvador realiza I Festival de Pipas

“Uma arraia velha caiu no Campo da Horta. Vi dois socioeducandos tentando colocá-la de novo no ar com o restinho de linha que ainda tinha…” Foi assim que surgiu a ideia de realizar o I Festival de Pipas da Comunidade de Atendimento Socioeducativo – Case Salvador, conta Camila Borges, educadora de medidas.

A pipa, ou arraia, é uma brincadeira que existe há muito tempo, é pouco praticada atualmente, tem baixo custo de realização e já foi símbolo de várias campanhas em prol dos direitos da criança e do adolescente, da liberdade e da paz.
Durante o festival, adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas participaram de oficina com Binho Pipas e Arraias, empreendedor, especialista na construção do brinquedo e incentivador do retorno da popularização do jogo entre crianças e jovens.
Na ocasião, o músico baiano Filipe Escandurras realizou um bate papo musical com os adolescentes, contando um pouco de sua experiência pessoal e sua carreira musical.
A iniciativa provocou lembranças de infância nos colaboradores e servidores, e o desejo de profissionalização nos jovens. “Foi bom aprender a construir direitinho uma arraia, conhecer bem os riscos de uma ‘linha temperada’, mas vi que isso pode se transformar numa fonte de renda quando eu for liberado da medida”, relatou um dos adolescentes, de 16 anos.