Saúde Integral

dentista saudeO atendimento em Saúde Integral consiste na atenção às transformações físicas, mentais e emocionais vivenciadas durante a adolescência, que se caracteriza como a fase de formação da personalidade do indivíduo. A prática de ato infracional nesta etapa da vida representa uma dificuldade do adolescente nas suas relações pessoal e social. Desde modo, quando acolhidos pela Fundac, o adolescente requer intervenções específicas de promoção, prevenção, proteção e assistência à saúde. A Portaria Interministerial nº 1426/2004 aprova diretrizes para a implantação e implementação da atenção à saúde dos adolescentes em conflito com a Lei.

Por isso, o atendimento em Saúde Integral na FUNDAC é realizado de duas formas específicas: uma destinada aos adolescentes em regime de Internação Provisória e em cumprimento de medida socioeducativa de Internação e de outra para àqueles que cumprem medida em regime de Semiliberdade. Esse atendimento é garantido ao adolescente através de três linhas de ação: Promoção de Saúde, Práticas Educativas e Assistência à Saúde.

O trabalho desenvolvido é monitorado pela Coordenação de Saúde, vinculada à Gerência de Atendimento Socioeducativo (GERSE), e realizado pelas coordenações de saúde que atuam dentro das unidades. As equipes técnicas são responsáveis pela elaboração do Plano Individual de Atendimento (PIA) – construído com a ajuda do adolescente e sua família -, que é uma intervenção sistemática que tem como objetivo traçar os procedimentos pedagógicos e terapêuticos para cada adolescente, considerando seu perfil e hipótese diagnóstica.

Sob o Princípio de Incompletude Institucional, o atendimento à saúde, realizado pela FUNDAC, assegura aos adolescentes ações e serviços de Atenção Básica, realizada pela equipe técnica dentro das unidades, e encaminhamentos à Rede de Apoio à Saúde, em casos de Atenção de Alta e Média Complexidade, através de parcerias e convênios com as secretarias municipais e Estadual de Saúde e a Rede SUS. Trabalhar articulado com a Rede de Atendimento à Saúde é uma necessidade imposta pelos novos Parâmetros Legais do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que têm como objetivo efetivar a concepção de Saúde Integral, aliado ao princípio de protagonismo compartilhado entre Estado, família e sociedade.

Atendimento de Saúde nas unidades de Internação Provisória e Internação

Nas unidades, os serviços de Atenção Básica à Saúde são realizados pela equipe técnica interdisciplinar, formada por médico clínico, psiquiatra, enfermeira, assistente de enfermagem, odontólogo, assistente social, psicólogo, terapeuta, terapeuta ocupacional, arteterapia, musicoterapia e nutricionista. Os profissionais são responsáveis pela promoção de condições satisfatórias de saúde integral, orientações sobre autocuidado, saúde sexual e reprodutiva, assim como as definições específicas e procedimentos necessários aos portadores de transtorno mental e usuários de drogas, como regulamenta o SINASE. Durante o período de permanência na unidade, o adolescente conta com o atendimento sistemático individual e grupal, realizado pela equipe técnica, e são inseridos em todas as atividades planejadas, principalmente nas abordagens grupais, cujas estatísticas demonstram maior eficácia.

 Objetivos

  • Assegurar condições necessárias para a garantia do atendimento de saúde integral dentro da unidade; 
  • Planejar ações educativas;
  • Identificar e notificar doenças infectocontagiosas, adotando procedimentos preventivos de transmissão;
  • Garantir de atendimento preventivo e de emergência;
  • Realizar atendimento diário de enfermagem, desde a internação provisória, identificando patologias;
  • Realizar acompanhamento psicoterápico, possibilitando o desenvolvimento psico-socio-emocional do adolescente;
  • Articular ações específicas em casos de saúde mental;
  • Fazer avaliação diagnóstica psicossocial e promover ações terapêuticas;
  • Fortalecer a rede social de apoio;
  • Favorecer a reaproximação familiar;

 

Atendimento de Saúde nas unidades de Semiliberdade

Por ser uma medida socioeducativa restritiva de liberdade na qual o adolescente exercita responsabilidade e autonomia, o atendimento de saúde em Semiliberdade é realizado de forma externa, através da Rede SUS. Mas antes deste encaminhamento, o adolescente é atendido, dentro da unidade, por uma equipe técnica formada por assistente social, psicólogo e técnico de enfermagem que atuam nas ações de promoção e assistência à saúde, articulando, encaminhando e acompanhando o adolescente nos serviços de saúde externos. As ações de promoção de saúde nas unidades de Semiliberdade têm início desde o acolhimento do adolescente e são realizadas pela equipe de saúde e setor pedagógico. A equipe também elabora o Plano Individual de Atendimento (PIA) e articula parcerias com órgãos governamentais e não governamentais, garantindo o atendimento de saúde do adolescente.

posto 3

Objetivos

  • Articular parcerias com a Rede SUS;
  • Encaminhar e acompanhar os procedimentos técnicos dos parceiros;
  • Fortalecer os vínculos familiares, corresponsabilizando-os;
  • Estimular o desenvolvimento do protagonismo juvenil;
  • Integrar equipe técnica, adolescente e família

 

Convênio com Ceparh garante atendimento de saúde

 

A Fundação da Criança e do Adolescente (FUNDAC ) firma convênio com o Centro de Pesquisa e Assistência em Reprodução Humana (CEPARH) com o objetivo de garantir aos educandos (as), egressos e familiares atendimento de saúde para a assistência, prevenção e planejamento familiar. Os atendimentos incluem consultas mensais, cirurgias, atendimento ambulatorial, exames como preventivos, mamografia, ultrassonografia e anatomia patológica e palestras sobre planejamento familiar e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).